Altos Contrastes



altos contrastes

curso para tradutores de inglês e/ou francês

Veja o vídeo e conheça o curso

Neste vídeo você fica sabendo das escolhas e dos fundamentos dos três cursos Altos Contrastes

A quem se destinam

Estes cursos de tradução online são destinados a tradutores de inglês-português ou francês-português, tanto técnicos quanto literários ou de humanas. Sua abordagem, apesar de cuidar de tópicos sintáticos, baseia-se na prática. Explicando melhor: são estudados comparativamente os tópicos sintáticos mais contrastantes na relação entre a língua de partida e a de chegada, mas sempre por meio de exemplos e do ponto de vista das táticas de tradução que devem ou podem ser adotadas para cada caso. 

Como funcionam

A abordagem estrutural contrastiva tem o objetivo de oferecer ao tradutor bases sólidas em um dos três ramos que constituem o tripé da boa tradução: o ramo sintático. Como todo tradutor sabe, a boa solução da sintaxe, ao lado do conhecimento do léxico e da capacidade de análise do registro, é um dos elementos que contribuem para a elaboração de um texto fluente e claro. O estudo dos aspectos sintáticos discrepantes entre a língua de partida e a de chegada tem o objetivo de alertar para as diferenças e sugerir soluções mais compatíveis com o espírito da língua portuguesa.

No início do curso apresenta-se, em algumas aulas, um resumo de alguns pontos importantes da língua portuguesa, como o estudo da voz passiva, dos pronomes relativos e da estrutura frasal mais geral. 

No início de cada aula, apresenta-se a base teórica daquele tópico e em seguida são explorados inúmeros exemplos, com comentários e soluções diversas.

O mesmo procedimento é aplicado para as duas línguas tratadas nos cursos, o inglês e o francês.

Método

  • Método: A abordagem NÃO é normativa, mas contrastiva, ou seja, compara tópicos sintáticos específicos entre a língua de partida e a de chegada. Evita-se o uso de nomenclatura que o aluno não domine. Os termos, quando empregados, são previamente explicados. Estão sempre abertos os canais para a expressão das dúvidas.

  • Na prática: Nos vídeos demonstrativos abaixo encontram-se  exemplos do modo como a aula se desenrola. As dúvidas enviadas serão respondidas por email, word ou vídeo, dependendo da situação.

  • Tempo de curso. Individualizado. Vai depender dos progressos do aluno. 

  • Programa. Veja abaixo o conteúdo de cada curso e inscreva-se naquele que mais lhe convier.

Três opções:

Inglês – Francês – Inglês e Francês

(veja abaixo os conteúdos)

  • Pequena introdução teórica
    Das diversas maneiras de encarar as estruturas sintáticas sem se prender à nomenclatura. Por que estudar a frase do ponto de vista estrutural?

  • Aula 1: Os segredos da flexibilidade, a versatilidade da língua portuguesa.
    O que distingue a língua portuguesa de outras línguas, como o inglês e o francês?

  • Aula 2: Pronomes relativos, noções básicas.
    O pronome relativo desempenha funções dentro da frase. Aprender a distingui-las é fundamental para o bom desempenho na escrita. 

  • Aula 3: Voz passiva, estudo mais detalhado da partícula “se”.
    Dos diversos tipos de voz passiva. Discussão em torno da voz passiva sintética e analítica. Estudo do uso da partícula “se”.

  • Aula 4: Sujeito: contrastes posicionais inglês-português.
    Das diversas posições possíveis do verbo em língua portuguesa, em comparação com a posição fixa ocupada pelo verbo na língua inglesa.

  • Aula 5: Sujeito: de dois explícitos a um oculto.
    Quando duas orações inter-relacionadas exibem o mesmo sujeito explícito em inglês, de que modo trabalhar em português para obter um texto mais elegante?

  • Aula 6: Formas em –ing, como traduzir?
    Nas formas terminadas em –ing estão embutidas diversas funções que é preciso descobrir para produzir um bom texto em português, pois suas traduções podem ser bem diferentes.

  • Aula 7: Object Complement – Predicativo do objeto: contrastes posicionais.
    Aqui também é preciso usar de bons pesos e medidas para saber onde colocar o predicativo do objeto em português. Sem dúvida, os critérios são diferentes nas duas línguas.

  • Aula 8: Possessivos, contrastes de uso.
    Os regimes de uso do possessivo são bem diferentes nas duas línguas. 

  • Aula 9: Artigos, contrastes de uso.
    Assim como no caso dos possessivos, não há regras, apenas uso. E, em grande número de casos, são contrastantes.    

  • Pequena introdução teórica
    Das diversas maneiras de encarar as estruturas sintáticas sem se prender à nomenclatura. Por que estudar a frase do ponto de vista estrutural?

  • Aula 1: Os segredos da flexibilidade, a versatilidade da língua portuguesa.
    O que distingue a língua portuguesa de outras línguas, como o inglês e o francês?

  • Aula 2: Pronomes relativos, noções básicas.
    O pronome relativo desempenha funções dentro da frase. Aprender a distingui-las é fundamental para o bom desempenho na escrita. Para o tradutor de francês, esse conhecimento é indispensável. 

  • Aula 3: Voz passiva, estudo mais detalhado da partícula “se”.
    Dos diversos tipos de voz passiva. Discussão em torno da voz passiva sintética e analítica. Estudo do uso da partícula “se”.

  • Aula 4: Sujeito: contrastes posicionais francês-português.
    Das diversas posições possíveis do verbo em língua portuguesa, em comparação com as posições ocupadas pelo verbo na língua francesa.

  • Aula 5: Sujeito: de dois explícitos a um oculto.
    Quando duas orações inter-relacionadas exibem o mesmo sujeito explícito em francês, de que modo trabalhar em português para obter um texto mais elegante?

  • Aula 6: Participe présent: como traduzir?
    Nas formas terminadas em –ant estão embutidas diversas funções que é preciso descobrir para produzir um bom texto em português, pois suas traduções podem ser bem diferentes.

  • Aula 7: Attribut du complément d’objet – Predicativo do objeto: contrastes posicionais.
    Aqui também é preciso usar de bons pesos e medidas para saber onde colocar o predicativo do objeto em português. Sem dúvida, os critérios são diferentes nas duas línguas.

  • Aula 8: Possessivos, contrastes de uso.
    Os regimes de uso do possessivo são bem diferentes nas duas línguas. 

  • Aula 9: On: um sujeito problemático.
    Não temos nada equivalente ao on francês. Querer traduzi-lo de uma só forma é inútil. Quais os critérios para descobrir a melhor maneira de traduzi-lo?

  • Aula 10: Dont e seus segredos.
    As versáteis posições do dont determinam diferentes traduções e modos de tratar esse pronome relativo. Suas diversas facetas são muito interessantes.

  • Aula 11: Qui e que: alguns mistérios e uma cilada.
    Apesar das formas diferentes, a tradução desses dois pronomes relativos está longe de ser uniforme.

  • Pequena introdução teórica
    Das diversas maneiras de encarar as estruturas sintáticas sem se prender à nomenclatura. Por que estudar a frase do ponto de vista estrutural?

  • Aula 1: Os segredos da flexibilidade, a versatilidade da língua portuguesa.
    O que distingue a língua portuguesa de outras línguas, como o inglês e o francês?

  • Aula 2: Pronomes relativos, noções básicas.
    O pronome relativo desempenha funções dentro da frase. Aprender a distingui-las é fundamental para o bom desempenho na escrita. 

  • Aula 3: Voz passiva, estudo mais detalhado da partícula “se”.
    Dos diversos tipos de voz passiva. Discussão em torno da voz passiva sintética e analítica. Estudo do uso da partícula “se”.

  • Aula 4: Sujeito: contrastes posicionais inglês-português.
    Das diversas posições possíveis do verbo em língua portuguesa, em comparação com a posição fixa ocupada pelo verbo na língua inglesa.

  • Aula 5: Sujeito: de dois explícitos a um oculto.
    Quando duas orações inter-relacionadas exibem o mesmo sujeito explícito em inglês, de que modo trabalhar em português para obter um texto mais elegante?

  • Aula 6: Formas em –ing, como traduzir?
    Nas formas terminadas em –ing estão embutidas diversas funções que é preciso descobrir para produzir um bom texto em português, pois suas traduções podem ser bem diferentes.

  • Aula 7: Object Complement – Predicativo do objeto: contrastes posicionais.
    Aqui também é preciso usar de bons pesos e medidas para saber onde colocar o predicativo do objeto em português. Sem dúvida, os critérios são diferentes nas duas línguas.

  • Aula 8: Possessivos, contrastes de uso inglês-português.
    Os regimes de uso do possessivo são bem diferentes nas duas línguas. 

  • Aula 9: Artigos, contrastes de uso inglês-português.
    Assim como no caso dos possessivos, não há regras, apenas uso. E, em grande número de casos, são contrastantes.

  • Aula 10: Sujeito: de dois explícitos a um oculto.
    Quando duas orações inter-relacionadas exibem o mesmo sujeito explícito em francês, de que modo trabalhar em português para obter um texto mais elegante?

  • Aula 11: Participe présent: como traduzir?
    Nas formas terminadas em –ant estão embutidas diversas funções que é preciso descobrir para produzir um bom texto em português, pois suas traduções podem ser bem diferentes.

  • Aula 12: Attribut du complément d’objet – Predicativo do objeto: contrastes posicionais.
    Aqui também é preciso usar de bons pesos e medidas para saber onde colocar o predicativo do objeto em português. Sem dúvida, os critérios são diferentes nas duas línguas.

  • Aula 13: Possessivos, contrastes de uso francês-português.
    Os regimes de uso do possessivo são bem diferentes nas duas línguas. 

  • Aula 14: On: um sujeito problemático.
    Não temos nada equivalente ao on francês. Querer traduzi-lo de uma só forma é inútil. Quais os critérios para descobrir a melhor maneira de traduzi-lo?

  • Aula 15: Dont e seus segredos.
    As versáteis posições do dont determinam diferentes traduções e modos de tratar esse pronome relativo. Suas diversas facetas são muito interessantes.

  • Aula 16: Qui que: alguns mistérios e uma cilada.
    Apesar das formas diferentes, a tradução desses dois pronomes relativos está longe de ser uniforme.

Para fazer sua inscrição, 

clique na figura abaixo que corresponder ao curso escolhido 

As matrículas estão suspensas temporariamente. Se você estiver interessado(a) em algum desses cursos, mande-nos uma mensagem e entraremos em contato quando as atividades forem retomadas. 

Vídeos de amostra

veja os vídeos abaixo para ter uma ideia de como as aulas se desenrolam